U2 no Brasil (2011) – Parte 2

Na primeira parte sobre o show do U2 eu contei como foram os preparativos da ida e nessa parte eu vou abordar o que aconteceu no pré-show já na fila.Minha intenção não é bem escrever sobre o U2 e sim contar minha experiência entupida de azar, porque eu sou assim né?

Então eu tinha parado quando o ônibus saiu de Belo Horizonte rumo a São Paulo.A viagem foi muito tranquila, ou eu pelo menos acho que foi porque eu dormi durante a coisa toda, eu tenho muita facilidade em dormir dentro de ônibus apertados durante viagens longas (beijos Montes Claros!).Eram mais ou menos 7 horas da manhã quando abri a cortina e vi aquela imagem tão “linda” da marginal Tietê.Depois de sermos recebidas com aquele trânsito tão gostoso de São Paulo chegamos…. onde Judas perdeu as botas.Eu não lembro direito porque mas a gente parou longe pra caramba do estádio, segundo o povo do bus a gente tava perto de um shopping que eu também não lembro o nome.

Recebemos as últimas instruções e cada um tomou seu rumo, alguns iriam ficar andando por SP, outros iriam pro shopping e eu e a Luana iriamos pra fila.Passamos antes no Shopping pra beber água e ir ao banheiro e depois rumamos pro estádio. Liguei pras meninas pra ter ideia da localização delas e andamos mais quarteirões do que eu queria andar, sério foram mais de 6.Assim que chegamos fomos procurar o pessoal do MOFO e logo achamos a Renata,Adri e Eliana. Foi muito bacana conhecer as meninas e é uma das minhas melhores memórias do show: a fila.Apesar dos pesares é o que eu lembro com mais carinho, estávamos todos ali no mesmo barco todo mundo ansioso e alguns passando mais perrengues que outros mas era impressionante ver todo mundo unido pelo mesmo interesse.

Eliana (Dmitra), eu e a Luana

Luana, eu, Adri e Renata

Eu estava azul de fome, peguei um sanduíche na mochilinha e uma lata de suco de laranja.O sanduíche estava gelado e a lata de suco quente, MUITO quente apesar de eu ter levado tudo em bolsa térmica.suco de laranja em lata já é uma merda, agora imagina o gosto daquilo quente. Sentei no meio fio comi a gororoba, passei um protetor solar e comecei a jogar conversa fora. Além das amiguinhas do fórum tinha uns rapazes descamisados bem expansivos ali puxando papo #MEGUSTA

Pro meu desespero comecei a sentir um frio na palma das mãos e era sinal de que havia algo de errado comigo.Tava suando frio e tentando não demonstrar que não estava bem.Eu sabia muito bem o que estava acontecendo comigo: dor de barriga.Era o que faltava! Claro que eu não falei isso pra ninguém que estava comigo porque essas coisas a gente não sai falando, e eu só to falando aqui porque…sei lá…

Pedi licença e comecei a andar atrás de um banheiro e depois de 3 quarteirões achei um lugar.Esperei na fila, paguei e entrei.E PQP! O banheiro era compartilhado, desses que entram várias pessoas ao mesmo tempo e não tinha porta.E entraram duas meninas comigo e claro que eu não fiz nada.Eu sou uma menina e meninas num ficam ae cagando de porta aberta na frente de desconhecidos.Eu quase morri juro.Eu queria chorar, principalmente porque paguei 3 reais pra nada.Saí de lá correndo e enquanto caçava meu grupo tentei ligar pro pessoal que conhecia e que ainda não tinha visto.Nessa primeira ronda liguei pra Lisi ,Marina e Ana (e eu tinha que entregar uns esmaltes pra ela porque a gente tinha combinado uma troca de marcas que só vendem em nossos respectivos estados).Ninguém atendeu.

Cheguei verde e as meninas me olhando com cara de “Você tá bem?” e eu disse que tava, meu estômago tava ruim. Não deu dois minutos e eu saí correndo procurando um banheiro de novo, dessa vez corri pro lado oposto e saí perguntando pras pessoas na rua onde tinha banheiro. Umas meninas me indicaram uma casa há 3 quarteirões, era longe mas segundo elas era o único lugar limpo por perto.Cheguei lá e um cara de olho de vidro já chegou perguntando o que eu queria fazer. O_O O sujeito parecia o Riff Raff de Rocky Horror.O sujeito era muito creepy.Paguei e entrei na tal casa.

Realmente o lugar cheirava a limpo, também por cinco reais tinha que ser (pra tomar banho acho que era 20!). A fila estava  grande mas tinha três banheiros exclusivamente femininos.Enquanto esperava minha vez uma menina se aproximou e pegou na minha mão falando que minha unha era bonita.E eu lá sozinha pensando “wtf é esse lugar?”, a menina começou a perguntar se eu estava lá pro show da Shakira e se eu gostava de pagode.Eu devo ter ficado no lugar uns 10  minutos mas parecia que eu estava presa em um desses filmes de terror que o tempo dura uma eternidade.

Eu rezei pra não precisar voltar naquele lugar.Liguei pra Fernanda que deveria estar em um portão por perto daquele lugar e mais uma vez ninguém me atendeu.Cheguei a conclusão que se alguém quisesse me ver teria que ir atrás de mim.Finalmente eu melhorei um pouco mas era meu estômago que agora queria aparecer e passar mal de verdade.recusei até um pacote de Doritos que me ofereceram e todos sabem que eu NUNCA recuso Doritos.

A manhã e a tarde foram passando assim, eu estatelada no show e de vez em quando indo sentar na fila debaixo de uma árvore  e ali morrendo.O tempo foi passando rápido porque o pessoal da fila era muito engraçado, e encontrei mais mineiros que em Minas Gerais, parecia que o estado todo fez excursão pro show do dia 9 no Morumbi.Eu não estava conseguindo comer direito porque meu corpo estava mal então só belisquei uns biscoitinhos.

Perto da hora de entrar no estádio começou o bafafá de que ao contrário do que foi divulgado não se poderia entrar com comida no estádio nem água. As informações eram desencontradas mas a maioria do pessoal estava se livrando de boa parte da comida.Doamos salgadinhos, sanduíches e refrigerantes pra alguns meninos de rua que estavam por perto.Fiquei com uma parte e com a água de coco que tinha levado.Eu e a Adri dividimos praticamente 1 litro de água de coco antes de entrar.

Quando anunciaram a abertura dos portões começou a confusão e a correria.Eu tentava acompanhar as meninas (combinamos de correr segurando no ombro da menina da frente pra ninguém ficar perdida, no one gets left behind!). Só que além de ser gordinha sem preparo físico e ter o tamanho de um hobbit fazendo com que eu precisasse de dar vinte passadas pra cada uma da Luana minha calça tava caindo.Eu testei a calça um milhão de vezes antes de sair de casa e escolho uma que fica caindo? Diz minha amiga Lucinha que me viu no jornal da TV Cultura correndo e segurando as calças, e ela falou antes de eu falar que tinha acontecido isso.Então há grandes chances de ter footage minha correndo de calça querendo arriar em algum arquivo da TV Cultura.

Chegou a minha vez de ser revistada e cara…o resto de comida que eu tinha escondido a policial fez com que eu jogasse fora, um cartaz de tamanho A4  que tinha levado com nome do Edge ela amassou e mandou eu jogar fora também.Ela me revistou que nem bandido, nem os meninos estavam passando por revista assim.Passei por ela com duas barrinhas de cereal (e por algum motivo os esmaltes que eu tinha levado pra Ana).

Quando vi o campo na minha frente comecei a correr ignorando os avisos de NÃO CORRE! da staff que estava desesperada.Não importava que tinha feito uma viagem de 8 horas, ficado na rua o dia inteiro me alimentando mal, que uma dor de barriga fudida quase tenha estragado meu dia.Nada importava eu estava ali correndo pro meu sonho.


P.S.: Na próxima parte eu conto do show em si.

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s