U2 no Brasil (2011) – Parte 3

Na segunda parte eu contei como além de ter uma revolução nas minhas tripas a policial tirou todo o resto de comida que eu tinha na mochila.Corremos estádio adentro sem saber direito pra onde ir, e entramos no inner circle lado do Adam. O cheiro no lugar estava medonho e as pessoas se amontoavam e eu comecei a me sentir realmente mal.Tonteira, ânsia e pedi pra sair. Literalmente.

Nessa altura do campeonato vocês já decidiram a muito tempo que eu sou incrivelmente babaca né?Então,  eu sou. O fato é que saímos do lugar mais disputado pra ver o show na pista, provavelmente só por minha conta (apesar que eu sei que se a Luana ler essa pataquada toda vai falar que ela quis também ). Saímos e depois disso não vi as meninas nenhuma vez.

Corremos pra grade e finalmente eu cedi em alguma coisa: ficamos do lado do Adam. Todo mundo sabe que eu sou vidrada no The Edge .Mas ficamos do lado do Adam porque: 1) era mais perto pra correr; 2) estava relativamente mais vazia e 3) A Luana curte o Adam. Achei justo compensar minha babaquice com a coisa toda.Arrumamos um lugar que parecia confortável e agora era apenas esperar… umas 5 horas pelo show do Muse que ia abrir o show e banda que eu não poderia ligar menos, já que o nível de interesse pela banda por minha parte é 0%.

O negócio era segurar a onda debaixo de sol por 5 horas ( + show do Muse…nhé). Claro que esses meus comentários calorosos sobre a banda me renderam narizes retorcidos dentro do estádio porque tinha gente ali que pagou esse absurdo de preço todo só pra ver a banda de abertura (eu ri tanto, por dentro é claro porque não queria apanhar). Sentada ali no gramado fiquei pensando sobre o dia e como as coisas tinham relativamente melhorado depois que entramos no estádio.E de novo o Universo tem como provar que você é um saco de bosta que vai se ferrar sempre.

Escutei um grito de algumas meninas do lado  e de repente vi do que se tratava, um FDP resolveu que a pista era seu banheiro e fez suas necessidades por ali mesmo. Resultado, não dava mais pra ficar sentada porque tinha xixi pra todo lado.Sobre os gritos de “MIJÃO!” o cara foi retirado por um segurança que estava perto da grade.

O tempo virou de uma vez e começou a chuva.Enquanto todos pegavam as compras compradas na fila que pareciam mais sacolas plásticas com furos pra por a cabeça e os braços eu tirei da minha mochila uma capa gigante azul, eu comprei uma semana antes do show numa loja de construção aqui perto de casa.Com aquela capa eu poderia aguentar uma tempestade.

Eu toda pimpona com minha capa azulona de pedreiro.

Mal sabia eu que essa capa ia me dar problemas mais tarde, mas voltando a linha cronológica da história.Claro que a chuva durou menos tempo do que eu gastei pra conseguir tirar a capa de chuva de dentro da mochila (que ainda tinha protetor solar, blusa de frio e aparentemente um guarda roupa pra qualquer mudança climática possível).O problema todo é que foi um parto consegui entrar nessa capa porque não havia muito espaço pra se movimentar então eu tive a brilhante ideia de ficar com a capa o tempo todo porque vai que chove de novo né? Não choveu.

Eu lá com fome e muita sede, em pé há mais de 3 horas, sem banheiro. Não chegava nada de beber com os vendedores, alias chegava sim, chegava cerveja.Não bebi porque seria uma burrice medonha beber cerveja quando você não tem acesso fácil a banheiros. Por fim quando eu já tinha desistido de comprar algo chegou um copo de Coca-cola que eu comprei por 5 reais.Nessa hora eu me dei conta que gastei 10 reais só com banheiro e bebida e eu não fiquei nada feliz.

O tempo passou relativamente rápido, quando olhei pra frente já vi o pessoal afinando os instrumentos e claro eu fui uma das que ficou sendo fangirl biruta pra cima do Dallas, que eu não sei porque continua se espantando quando a gente berra o nome dele. Eu não vou comentar do show do Muse porque eu…eu não lembro deles no palco pra falar a verdade LOL Eu estava tão ansiosa e minha cabeça tava tão louca que eu não tenho memória de nada dessa parte.Eu realmente estava louca nessa altura.

Quando ouvi as primeiras notas de  Space Oddity uma cachoeira de lágrimas começou a correr no meu rosto e eu acho que eu nunca mais vou conseguir ouvir essa música sem ter uma sensação de nostalgia.Eu queria muito ter tirado fotos melhores mas o caso é que na minha frente tinha uma mulher louca, especificamente uma grávida louca (ah lá eu vira e mexo tenho problemas com grávidas). Toda santa vez que o Bono passava perto e eu ameaçava tirar uma foto ela me batia.JURO! Ela berrava que o homem era dela e pisava no meu pé ou tentava arranhar meu braço.Erhm…

Um exemplo de foto que tinha tudo pra ficar foda e nítida se a grávida louca não tivesse pulado em mim no momento que saquei a câmera.

A mulher passou o show gritando que o Bono ia subir com ela pro palco porque ela sonhou com isso.Um show rolando e eu ouvi isso? Dá pra ter noção do tanto que essa mulher gritou comigo né? Apesar de teoricamente estarmos do lado do Adam eu não tenho uma única foto do homem de perto.O Bono circulou bastante pela área e pra minha surpresa e alegria o Edge toda hora passava por ali e inclusive eu consegui tirar duas fotos muito boas do Larry.O único problema era as minhas calças.Parece piada mas toda vez que o Edge passava ali naquele setor minha calça fazia questão de cair. Eu sei que é coincidência e tudo mais, mas claro que até hoje eu faço piada com isso e falo que o homem tem O poder de fazer minhas calças cairem só de passar perto e que eu tenho que agradecer que ele não olhou pra mim porque se não eu teria engravidado LOL

Eu não poderia pedir um setlist melhor (mentira eu poderia sim mas vamos fingir que só teve minhas músicas favoritas porque eu prefiro lembrar assim).Quando começou a tocar Walk On eu comecei a chorar de soluçar, eu acho que o estoque de água que tinha no meu corpo foi embora naquele minuto.Eu não sei explicar o que aconteceu naquele momento mas enquanto eu olhava pro palco eu vi meu primo rindo pra mim, meu primo também gostava da banda e faleceu meses depois do show de 2006 (eu não fui porque tinha operado e ele porque tinha sofrido um acidente de moto e tinha estourado o joelho).Eu não acredito nesse tipo de coisa e até hoje eu não sei se eu vi o que eu vi, se eu tava alucinando ou sei lá o que. O fato é que eu chorei que nem criança e quase tive um treco.

Show terminou e era hora de sair do estádio e ir pro ônibus pra voltar pra Belo Horizonte.Quem me conhece sabe que eu tenho um pouco de dificuldade de demonstrar carinho pelas pessoas, eu não sou dessas de abraçar amigos.Final do show eu tava pendurada na Luana de mão dada pedindo pelamordedeus pra ela comprar água pra mim.Dois copos de agua, mais 10 reais voando da minha carteira.Que delícia.E eu lá ainda de capa de chuva, agora porque eu tava sentindo frio e resolvi que seria ruim tirar a capa e congelar, porque eu suei muito pulando debaixo daquela lona toda.

Chegamos no local combinado como ponto de encontro e CADÊ O ÔNIBUS?Eu tentava ligar pro pessoal da excursão e nada de alguém atender e a bateria do celular com um pininho só de energia.Eu comecei a surtar, eu não tinha plano B e nem dinheiro pra passar a noite em algum lugar e pra voltar pra Belo Horizonte.Não dá pra transcrever os xingamentos que usei pro povo da excursão.

Depois da décima tentativa um cara atende e diz que tá chegando.Ele aparece uns 20 minutos depois falando que a polícia chegou e pediu pra mudar o ônibus de lugar e que o pessoal que ficou no bus sabia.IMBECIL!Apareceram mais alguns desgarrados e fomos atrás do ônibus, e de boa….foram mais 6 quarteirões pra chegar no bus.E isso eu com fome, fraca, sem perna pra andar já.Quando tirei a capa de chuva eu pensei que eu ia morrer senti um frio muito grande e me enrolei no cobertor do ônibus, e os imbecis claro ligaram o ar condicionado no limite.A Luana tinha alguma comida guardada na mochila dela que ficou no ônibus, e claro que tudo que ela tinha eu não comia.Que sorte a minha.Nessa hora ela já tava me olhando estranho e eu sem saber porque.Chegamos em BH cedinho, eu desci perto do edifício JK e fui pegar meu bus perto da Igreja Universal.Todo mundo tava me olhando torto no bus e eu lá pensando na minha cama.Claro que peguei trânsito apesar de ser domingo.

Eu não lembro de muita coisa depois disso só da minha mãe falar que eu estava horrível.Acordei quase 6 horas da noite e perto de mim tinha gatorade, água de coco e remédio e meus pais com cara de “essa menina vai morrer”.Comi alguma coisa que não lembro também e acordei no outro dia achando que iria morrer.Lá vai minha mãe me carregando pro hospital.Depois de rodar uns médicos dentro do hospital o diagnóstico: princípio de pneumonia, pé trincado e desidratação.O médico elogiou minha mãe que me entupiu de gatorade e água de coco no dia anterior porque senão segundo ele eu estaria bem pior.O pé trincou porque foi pisoteado pela grávida louca e a pneumonia adivinhem? É, acho que sair andando de capa de chuva e transpirando feito louca durante um dia inteiro pra depois tirar a maledeta debaixo de ar condicionado pode ser eleita a pior burrice dessa viagem.

Faltei o dia de trabalho e depois mostrei pra minha orientadora o atestado médico e ela insinuou que eu forjei o atestado porque eu não queria trabalhar.Foi a gota d’àgua de uma relação desgastada e foi o fim do meu único mês na iniciação cientifica, eu juro que tentei fazer dar certo mas com salário de merda e orientadora monstro não deu.E eu tava desempregada de tudo.

Foi uma loucura?Foi.Mas eu faria tudo de novo, mesmo com tudo mal planejado como foi.Me diverti muito e tenho história pra contar até pros netos, e eu lembro mais desses momentos do que do show propriamente dito.O show acabou e depois de uns dias a banda foi embora mas o que ficou pra mim foram as amizades que eu fiz e os perrengues que passamos juntos e isso eu não trocaria por nada.

Anúncios

4 pensamentos sobre “U2 no Brasil (2011) – Parte 3

  1. “Parece piada mas toda vez que o Edge passava ali naquele setor minha calça fazia questão de cair. Eu sei que é coincidência e tudo mais, mas claro que até hoje eu faço piada com isso e falo que o homem tem O poder de fazer minhas calças cairem só de passar perto e que eu tenho que agradecer que ele não olhou pra mim porque se não eu teria engravidado LOL”.

    Tu não tens nem ideia do que eu me ri com isto. Não me ria assim há meses e meses! E sim, eu não vou esquecer e vou jogar isso em qualquer oportunidade de conversa que tenha contigo ahhh.

    Pneumonia e hospital! Essa parte eu detestei. Mas proponho que contes isso ao Edge e ele terá uma boa recompensa. Se ele anda de metro e manda o motorista entregar mala de americanos … nem imagino o que te dará a ti. Imagino algo em que as calças caiam ahhh.

    Agora sério. Relato cheio de emoção nas entrelinhas e não só. U2 sempre, amizades U2 ainda mais 🙂

    • Nossa eu morri de medo da minha calça cair e ele ver e achar que eu estava fazendo de propósito.Mesmo com essa parte de ter parado no hospital eu faria tudo de novo, a culpa foi minha por ter ficado com a capa de chuva o tempo todo.

  2. Eu sei que farias! Mesmo a mim nunca me tendo caído calças na frente do Adam, eu também faria tudo de novo, inclusive ir para o estrangeiro apenas para ver u2 e etc.

    Resta-me desejar que um dia estejamos as duas no mesmo show U2, onde quer que esteja. Já que hoje não estou onde sonhava estar. E com certeza nunca estarei. Comic con.

    • Nós podemos providenciar que suas calças caíam pro Adam.Se eu ganhar na mega sena eu despacho nós duas pra próxima Comic Con.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s