A mira fatal

Minha vida toda estudei em escola pública, a não ser pelo breve espaço de tempo que fiz cursinho pré-vestibular.Tirando esse pequeno intervalo acho que meus pais nunca pagaram pela minha educação.Depois de ficar anos no sistema de Escola Plural adotado pela rede municipal de Belo Horizonte (nem vou gastar tempo discutindo aqui o tanto que eu discordo desse sistema porque passei uns dois anos do ensino superior martelando minhas opiniões na cabeça dos professores e coleguinhas) achei que era hora de mudar.

Apesar de estabelecido que a rede municipal abrigaria o que chamávamos de ensino fundamental (1ª a 8ª série, e eu digo chamávamos porque eu acho que agora são os ciclos…se não tiverem mudado mais uma vez) a escola que estudei por algum motivo também tinha o ensino médio.Eu teimei e ainda fiz o primeiro ano naquela escola que nada tinha a oferecer de bom pra mim, o ensino era de qualidade duvidosa, ficava longe da minha casa e eu sofri muito bullying, menos no primeiro ano mas já havia um longo histórico de agressões verbais e físicas que eram o suficientes pra eu nunca mais querer pisar naquela escola de novo.

Em 2002 tomei vergonha na cara e pedi pra ser transferida de escola, dessa vez iria estudar em uma escola estadual com o velho sistema de notas em uma escola com a melhor reputação da região e onde eu não conhecia ninguém então havia grandes chances de poder me reinventar  e não ser mais a gordinha que apanha na escola.Só consegui vaga no noturno, mas já estava de bom tamanho pra mim.

O Santos Dumont é uma dessas escolas que tem uma bela fama mas só quem estuda e trabalha lá sabe como as coisas são de verdade.Um dos grandes problemas da escola quando estudei lá eram os pombos, uma verdadeira praga que se alastrava por todas as salas da escola.Eu não sei como diabos começou e nem qual era exatamente o problema do telhado da escola mas o fato é que uma revoada de pombos morava no telhado da escola.Os pombos tornaram impossível usar a piscina que havia na escola pra educação física, os pombos fediam a escola inteira e quando chovia não raras vezes dava goteira nas salas, e claro excremento de pombo vinha junto com a chuva.Era um verdadeiro horror.

Certo dia durante o intervalo eu esperava minha amiga aparecer para discutirmos a apresentação de um seminário que seria no horário seguinte, quem me conhece sabe que eu sou extremamente ansiosa e estressada, comecei a andar em círculos pela sala xingando até a décima geração da coleguinha que tinha sumido pra supostamente ir lanchar.Depois de alguns minutos comecei a ficar impaciente de verdade e fui atrás dela e claro que não encontrei, comecei a andar pela escola e nada de achar a menina

No meio do pátio soltei um grande suspiro e disse com vontade: QUE MERDA!As palavras saíram da minha boca e de repente…PLOFT.Olhei pro meu ombro com horror percebendo que um pombo maldito tinha me acertado em cheio,e esqueci de mencionar: claro que o uniforme da escola era branco.Corri desesperada pro banheiro torcendo pra que ninguém tivesse visto aquilo, porque eu tinha mudado de escola a pouco tempo, eu queria ter amigos e eu estava tão cansada de ganhar apelidos, eu queria gostar daquela escola pra variar.

Chego no banheiro feminino e encontro a tal coleguinha que estava de fofoca com suas amigas.Eu queria morrer, pode parecer besteira mas eu queria ser uma avestruz naquela hora e enfiar minha cabeça em algum buraco e só morrer de vergonha. Ao contrário do que eu pensei ela foi prestativa comigo, me ajudou a limpar a camisa e me acalmou e disse que não iria falar nada pra ninguém, uma amiga dela sugeriu que eu enrolasse as mangas da camisa e falasse que estava com calor (eu não estava ).Fiz como elas falaram e saí do banheiro como se nada houvesse acontecido, subimos pras salas de aula no segundo andar.Eu estava feliz, tinha saído de uma situação ruim,vi que nem todo mundo era tão babaca assim (inclusive eu fiquei muito amiga dessa menina depois).

sentei pra apresentar o trabalho e ninguém falou nada comigo, estava tudo bem até o momento que um cara extremamente babaca levanta no fundo e grita:  A VIVIANE CAGOU NO POMBO!Isso nem fazia sentido!mas não importava porque em dois segundos o pessoal já estava gritando isso a plenos pulmões.Nem preciso dizer que durante uns bons meses era a única coisa que eu ouvia na escola e eu tive que esperar até outra pessoa ser vítima do pombo pra poder parar de sofrer com piadinhas.

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s